Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘1’ Category

 El Comité Ejecutivo de la Conferencia Estadística de las Américas se reunirá en Santiago de Chile.

 Autoridades y expertos de 19 países de América y Europa miembros  de la Comisión Económica para América Latina y el Caribe (CEPAL), se  reunirán  en  Santiago  de  Chile  para  analizar  el desarrollo de las estadísticas en la región en temas como los censos, Objetivos de Desarrollo del Milenio, género y medición de la pobreza, entre otros.

Durante   la   Novena  reunión  del  Comité  Ejecutivo  de  la  Conferencia

Estadística  de  las  Américas  de  la  CEPAL (CEA-CEPAL) los participantes revisarán  el programa de cooperación regional e internacional 2009-2011 en materias  estadísticas y evaluarán las actividades de los diferentes grupos de trabajo de la Conferencia

La  reunión  del Comité Ejecutivo de la CEA-CEPAL será inaugurada el martes 20  de  abril  a  las  09:30  horas por Antonio Prado, Secretario Ejecutivo Adjunto  de  esta comisión regional de las Naciones Unidas, y Pablo Tactuk, Director  de la Oficina Nacional de Estadística de la República Dominicana, quien preside el Comité Ejecutivo.

Asistirán también representantes de organismos multilaterales y del sistema de las Naciones Unidas.

La  Conferencia  Estadística de las Américas es un órgano subsidiario de la CEPAL,  que  promueve  el  desarrollo  y  mejoramiento  de las estadísticas nacionales  y  su  comparabilidad  internacional,  así  como la cooperación internacional, regional y bilateral en materias estadísticas en la región.

Durante  la  reunión,  que  se  prolongará hasta el jueves 22 de abril, los delegados  analizarán  también  los  avances  y  próximas metas y tareas de importantes  iniciativas  de cooperación estadística internacional, como la Ronda  de  2011 del Programa de Comparación Internacional (PCI), iniciativa mundial  que busca recolectar datos sobre los precios de bienes y servicios de  una  canasta  de  consumo  comparable  de  un país a otro y estimar los índices  de  paridad  del poder adquisitivo (PPA), que sirven para comparar los valores en términos reales a nivel internacional.

El  encuentro servirá de foro para impulsar en la región diversos eventos y actividades  para  la  celebración  del  Día  Mundial  de  la  Estadística, instaurado  por la Comisión Estadística de la Naciones Unidas para el 20 de octubre de 2010.

 Por  último,  el  Comité  Ejecutivo  discutirá  sobre las prioridades de la Conferencia  que se presentarán  en el Trigésimo tercer período de sesiones de la CEPAL, que se realizará en Brasilia del 30 de mayo al 1 de junio.

      Se invita a los medios de comunicación a asistir a la reunión. Una agenda preliminar y la documentación de la reunión están disponibles en el sitio web de la CEPAL siguiendo este enlace. Para consultas, contactar a los Servicios de Información de la CEPAL. Correo electrónico: dpisantiago@cepal.org ; teléfono: (56 2) 210 2040/2149.

Anúncios

Read Full Post »

Dupla aderiu voluntariamente ao projeto para tornar material mais próximo da população, especialmente dos afrodescendentes durante a rodada dos censos de 2010-2012. Conteúdo terá nova exibição na TV Brasil Internacional e para emissoras associadas da Ibero-América e de 14 países da América Latina

 Brasília (Brasil) A atriz Sheron Menezes e o apresentador Big Richard gravam nesta segunda-feira (12/4), nos estúdios da Tv Brasil, em Brasília, a apresentação do documentário “As Américas têm cor: afrodescendentes no século XXI”. Composto de matérias que retratam a realidade da população negra do Brasil, Equador, Panamá e Uruguai, o documentário revela a expectativa dos afrodescendentes em torno do levantamento de dados referentes à raça e etnia nos censos nacionais.

 As reportagens foram produzidas nos meses de novembro e dezembro de 2009 – numa parceria entre UNIFEM Brasil e Cone Sul (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher), Grupo de Afrodescendentes nos Censos das Américas e TV Brasil/Canal Integración -, e exibidas ao longo do mês de janeiro de 2010, para as emissoras parceiras da TV Brasil/Canal Integración da Ibero-América e para 14 países da América Latina. No Brasil, a série foi exibida na TV Brasil, NBr, TV Senado, TV Câmara, Canal Futura, entre outras emissoras. No rol de parceiros, o projeto conta ainda com o apoio das marcas Vide Bula e Camisaria Colombo no figurino utilizado pelos apresentadores no documentário.

 A dupla de apresentadores negros aderiu voluntariamente ao projeto de apresentação do documentário por compreender se este um momento decisivo para informar as populações negras das Américas sobre a rodada do censo de 2010-2012 e a importância de afirmação da identidade negra. Sheron Menezes – é uma das atrizes negras em carreira ascendente na Rede Globo, participa desta edição da Dança dos Famosos do Domingão do Faustão e recentemente atuou na novela Caras e Bocas, com a personagem Milena -, foi sensibilizada a apresentar o documentário por sua mãe, a escritora Vera Linda Menezes.

 Em setembro do ano passado, Vera Linda acompanhou o seminário estadual O Negro na Mídia – A Invisibilidade da Cor, realizado em Porto Alegre pelo Núcleo de Jornalistas Afro-brasileiros do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul. “É fundamental levar a informação do censo para a população negra e trazer elementos que facilitem a identificação negra para afirmação da nossa descendência africana”, aponta Vera Linda Menezes, autora do livro Princesa Violeta, que trabalha a temática racial no imaginário infantil a partir de personagens negros.

 Apresentador do programa Para Todos da TV Brasil, Big Richard é bastante conhecimento no cenário cultural e artístico por ser músico, rapper e engajado com a valorização da identidade negra. Foi colaborador da Revista Raça Brasil e apresentou, nos idos do ano 2000, um quadro no programa Fantástico da Rede Globo sobre a periferia e o movimento hip hop. Um dos rostos negros da TV Brasil, Big Richard tem estabelecido a ponte entre a efervescência cultural negra no Brasil e em países africanos. Recentemente, produziu uma série de reportagens sobre o país africano Guiné Bissau.

 Dados de raça e etnia nos censos de 2010

Os censos geram informações primárias que vão derivar em dados estatísticos confiáveis e influenciar, pelo menos por uma década, a análise de indicadores sobre o modo de vida dos afrodescendentes.

 Após a finalização do documentário, o material será novamente exibido para a rede de emissoras parceiras da TV Brasil na Ibero-América e nos 14 países americanos. No Brasil, a parceria entre UNIFEM Brasil e Cone Sul e Ministério da Cultura vai distribuir o documentário para os pontos de cultura afro, de gênero e de audiovisual instalados em todos os estados. A rede de distribuição prevê ainda envio dos DVDs para tevês educativas, culturais, universitárias e comunitárias de todo o Brasil, além de organismos de igualdade racial e de política para as mulheres. O documentário terá legendas em Espanhol e Inglês para ampliar a exibição e o consumo do conteúdo para diferentes públicos.

Assessoria de Comunicação

UNIFEM Brasil e Cone Sul

Isabel Clavelin

Mara Silva

(61) 3038.9287 / 8175.6315

unifemconesul@unifem.org

WWW.unifem.org.br

WWW.twittter.com/unifemconesul

Read Full Post »

Escrito por Red de Mujeres afrolatinoamericana, afrocaribeña y de la Diáspora

Lunes, 05 de Abril de 2010 12:26 Esta pregunta se hará a todos los panameños residentes y extranjeros, el día domingo 16 de mayo de este 2010, cuando los funcionarios y empadronadores del Instituto de Estadística y Censo (INEC) visiten a todas las casas y residencias para realizar el “conteo” de todos dentro de la República de Panamá, bajo su lema “el Canal ampliamos y en el 2010 todos contamos”.

Esta pregunta es específica y de suma importancia para los miembros de la comunidad afro-panameña porque será la primera vez, desde el Censo de 1940, que se indicará, para así visibilizar, mediante la auto-identificación, la cantidad que realmente somos. Es el momento para Restituir nuestro Derecho a la Identidad y la Cultura, un derecho inalienable de toda persona; y, de esta manera hacemos Justicia a nuestros ancestros. La respuesta es de vital importancia a los tomadores de decisiones políticas y económicas (Gobierno Nacional e instituciones de Cooperación Internacional) sobre la importancia de reconocer las contribuciones de las personas mujeres y hombres Afrodescendientes en la construcción de la identidad nacional; como también la formulación de la inversión técnica, económica y política para corregir las instancias de inequidades y la exclusión.

La historia panameña registra la llegada de este grupo humano en dos oportunidades, para conformar la comunidad afro-panameña, sus descendientes. La primera, aquella que desciende de los primeros grandes partícipes de la conquista y colonización del Istmo de Panamá, conocidos como africanos conquistadores, africanos colonizadores, africanos “esclavizados”, africanos rebeldes o “cimarrones”, africanos mulatos comerciantes, etc., que se establecieron, principalmente, en Nombre de Dios, a lo largo del Camino Real, en Portobelo, Chagres, a lo largo del Camino de Cruces, el de Palenque, en Santa María La Antigua del Darién, en el Archipiélago de Las Perlas. Y, la segunda, aquella que desciende de los que llegaron de las Antillas, los segundos grandes partícipes de la economía colombina y republicana en la construcción del Ferrocarril de Panamá, las plantaciones bananeras de Bocas del Toro, la construcción del Canal de Panamá, la conformación de la República de los años 1910 al 1930, las víctimas de las leyes que terminaron en la Constitución de 1940.

Los resultados de los Censos de 1940 indicaron que somos el mayor grupo racial: Total de Población 622,576. Total por grupo racial: Blanca = 68,897 (12%); Negra = 82,871 (15%); Mestiza = 406,814 (72%); Indígena = 55,987 (9%); y, otros = 8,007 (1%). Por tanto, podemos concluir que este país nuestra gente es mayormente negra y mestiza. Sin embargo, esta pregunta racial fue eliminada de los Censos subsiguientes, haciéndonos invisibles por 60 (sesenta) años. ¿Por qué será? Los Censos de los Estados Unidos de América mantienen la identidad racial. El trabajo que nos toca es modificar las políticas públicas para la inclusión, la participación ciudadana y la eliminación de la discriminación. Debemos mostrar el país con las facciones de nuestra diversidad étnica, a través de las cuñas publicitarias. Afro-Descendientes, Digamos Sí, Censo 2010! Viva Panamá! * Miembro del Consejo Nacional de la Etnia Negra (CONEN).

Read Full Post »

El Departamento de Derecho Internacional de la Secretaría de Asuntos Jurídicos de la Organización de los Estados Americanos (OEA), se complace en anunciar la presente convocatoria para la concesión de 4 becas para jóvenes afrodescendientes de los Estados miembros de la OEA, a efectos de que participen como alumnos del XXXVII Curso de Derecho Internacional: “El Derecho Internacional y las Transformaciones del Mundo Contemporáneo”.

 Para mayor información ingrese a la siguiente página web:

 http://www.oas.org/dil/esp/XXXVII_Curso_Derecho_Internacional_convocatoria_afrodescendientes.pdf

 http://www.oas.org/dil/esp/cursos_seminarios_cursos.htm

Read Full Post »

Por: Vitor Abdala – Repórter da Agência  Brasil

Brasília (26.02.2010) – O processo para a seleção das 192 mil pessoas que trabalharão na coleta de dados do Censo de 2010 foi aberto hoje (26). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as inscrições vão até o dia 19 de março nos postos de inscrição e até 4 de abril pela internet.

A seleção será feita por meio de uma prova objetiva no dia 30 de maio. Eles passarão por um treinamento em julho deste ano e começam a fazer a coleta de dados em 1º de agosto. A previsão é que o trabalho dure três meses, já que o IBGE espera ter concluído toda a coleta até outubro.

Para o processo seletivo, o candidato escolherá a área que pretende trabalhar. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, há vagas específicas para comunidades carentes, como a Rocinha e o Complexo do Alemão. Caso seja aprovado no concurso, cada recenseador ficará responsável por uma determinada região, chamada de setor censitário, composto em média por 300 domicílios.

A remuneração do recenseador variará de acordo com o trabalho executado. Ao concluir um setor censitário, o recenseador será pago com um valor entre R$ 800 e R$ 1.600, dependendo da dificuldade de coleta da área.

Se o trabalho for executado de forma rápida, um mesmo recenseador pode ficar responsável por uma nova área censitária e ele poderá receber mais uma remuneração de até R$ 1.600.

Segundo o diretor-executivo do IBGE, Sergio Cortes, para concorrer às vagas é preciso ter apenas o ensino fundamental (antigo 1º grau) completo. Mas ele acredita que mesmo pessoas que estejam cursando o ensino superior deverão se interessar pela oportunidade.

“Nas grandes cidades, imagino que essas pessoas serão universitários. É uma grande oportunidade para todos os jovens que queiram ou ter seu primeiro emprego ou queiram complementar sua renda”, disse. “Mas acreditamos que será uma operação que terá interesse de muitas pessoas não só nos grandes municípios, como nos pequenos municípios e nas áreas rurais.”

Os recenseadores serão identificados com crachás, coletes e com sua própria identidade. No trabalho, eles usarão uma espécie de computador de mão, onde irão inserir os dados coletados nas entrevistas do censo.

http://www.agenciabrasil.gov.br/?q=node/949

Read Full Post »

Por: Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro (26.02.2010) – O Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) terá um custo total de R$ 1,67 bilhão, somando-se os gastos feitos com o planejamento, a coleta de informações e o processamento dos dados. Pelo menos 70% desse valor serão gastos com os 230 mil trabalhadores envolvidos no processo. A informação foi divulgada hoje (26) durante entrevista coletiva à imprensa.

O trabalho de coleta começa em 1° de agosto, depois de um rápido treinamento com os trabalhadores. A expectativa é que a coleta seja encerrada até outubro e os primeiros resultados já sejam divulgados em dezembro deste ano.

Segundo o diretor executivo do IBGE, Sergio Cortes, os primeiros dados divulgados serão sobre as populações de homens e mulheres e a quantidade de pessoas que moram em meio urbano e em meio rural, por município.

Os resultados serão gradativamente apresentados nos meses seguintes até, pelo menos, dezembro de 2011. Segundo Cortes, o censo, realizado de dez em dez anos, é o retrato mais completo da população brasileira, uma vez que os questionários envolvem várias perguntas.

“Nós já vamos poder conhecer, no final de 2010 e a partir de 2011, quem somos, como vivemos, um raio x perfeito.” Ele destacou que os dados vão ajudar os governos a traçar políticas públicas nas áreas de saúde e educação, entre outras. “Mas também vai identificar, para o setor privado, novas oportunidades”, disse Cortes.

Neste ano, segundo o IBGE, haverá novidades no questionário a ser respondido pelos cidadãos. Além dos itens que já constavam no Censo de 2000, como as perguntas pessoais sobre os moradores e as condições físicas do domicílio, haverá questionamentos específicos sobre brasileiros que emigraram e sobre as línguas indígenas. Na seção sobre os eletrônicos existentes no domicílio, haverá perguntas sobre o uso de aparelho de celular e o acesso à internet.

http://www.agenciabrasil.gov.br/?q=node/941

Read Full Post »

Por: BRUNO BOGHOSSIAN – Agencia Estado

RIO (26.02.2010) – Pela primeira vez, os brasileiros que não responderem ao censo demográfico ou não forem encontrados pelos recenseadores poderão preencher um formulário pela internet para fornecer os dados para a pesquisa. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ressaltou, no entanto, que a nova ferramenta não acaba com as visitas aos domicílios.

“A opção de responder pela internet será utilizada quando os moradores não estiverem disponíveis, para que possam fornecer as informações necessárias com maior comodidade”, explicou o diretor-executivo do IBGE, Sérgio Côrtes. “O trabalho do recenseador, ainda assim, é importante para garantir a identificação e o cadastro dos domicílios.”

A coordenadora operacional dos censos do IBGE, Maria Vilma Garcia, explicou que, caso não seja encontrado ou se recuse a atender os pesquisadores, o morador receberá uma carta com um código numérico e terá até 10 dias para preencher um formulário no site do instituto. “Fizemos testes e não constatamos nenhuma diferença entre as respostas dadas pessoalmente e pela internet”, disse Maria Vilma.

O questionário do censo também passou por mudanças para incluir questões que ajudem os governos a desenvolver políticas de investimento. O IBGE vai perguntar aos entrevistados, por exemplo, o tempo de deslocamento de casa ao local de trabalho ou estudo, com o objetivo de identificar possíveis deficiências na infraestrutura de trânsito. Outros novos itens nos formulários dos recenseadores são o uso da internet e do telefone celular no domicílio, o idioma falado pelos povos indígenas e a emigração internacional, para calcular o número de brasileiros que vivem no exterior.

O levantamento do Censo 2010 começa a ser feito no dia 1º de agosto e terá a participação de 192 mil recenseadores, que vão visitar cerca de 58 milhões de domicílios em todos os municípios do País. As primeiras informações – população dividida por município, sexo e situação doméstica (rural ou urbana) – serão divulgadas em dezembro deste ano. Os demais resultados serão conhecidos até dezembro de 2011.

http://www.estadao.com.br/noticias/geral,censo-podera-ser-respondido-pela-internet,516845,0.htm

Read Full Post »

Older Posts »